Home » » Aberto do Brasil Nova Petrópolis

Aberto do Brasil Nova Petrópolis

Postado Por Paulo Henrique de Faria em 13 de fevereiro de 2012 | 22:59

Ocorreu entre os dias 27/01 a 29/01 o Aberto do Brasil Nova Petrópolis/RS, o evento contou com a participação de 64 jogadores sendo 1 GM, 3 MIs, 3 MFs e 1 WFM, e teve como elo médio (1824), o grande campeão do evento foi o MI uruguaio Bernardo Roselli Mailhe (2421) de FIDE. Sem dúvida foi um forte torneio e que trouxe muito a acrescentar para o Brasil nesse início de ano. O jogador e professor do Rio Grande do Sul, Eider Cruz (foto) escreveu a respeito do torneio do qual participou como jogador.



Aberto do Brasil Nova Petrópolis - nas palavras do gaúcho Eider Cruz  (foto)

Pronto. Chega de férias. E como não curto muito Carnaval, mas me enche de energia o iminente feriadão, vamos colocar as mãos à obra e, nesse caso, eu não poderia deixar de escrever algumas linhas sobre o torneio aberto de Nova Petrópolis. Minha participação foi bem mediana e não tenho nenhuma partida que valha a pena ser comentada, mas o torneio em si teve algumas partidas bastante interessantes. O campeão foi o MI Uruguaio Bernardo Roselli, em segundo o MI Rodrigo Disconzi seguido em terceiro lugar pelo GM Everaldo Matsuura e em quarto pelo MF Luiz Ney Menna Barreto - todos os 4 com 5 pontos. Os critérios de desempate para mim e para muitos acredito que foram uma grande surpresa:

1º critério - Confronto Direto (código 11)
2º critério - Maior nº de vitórias (código 12)
3º critério - Maior nº de partidas com peças pretas (código 53)
4º critério - Buchholz com corte do pior resultado (código 37)
5º critério - Buchholz sem corte (código 37)

Talvez o uso dessa ordem de critério seja explicável para um torneio fechado, pois quando se faz uso dele para um torneio aberto, abre-se espaço ainda maior para o quesito "Sorte no emparceiramento" o que, na minha opinião, não é a forma mais justa de se decidir um campeão de torneio. Mas o Diretor do evento Fenando Barros explicou que estava seguindo ordens da CBX que por sua vez estava acatando as ordens da FIDE e o torneio seguiu com a aprovação dos critérios por todos ali presentes.


A partida do título de Roselli foi jogada pela última rodada contra o Eduardo Munoa. O jogador gaúcho tem tido bons resultados contra a variante Mar del Plata da índia do rei, mas dessa vez, depois da sorte da partida ter lindamente caminhado pela corda bamba, Munoa teve que amargar a derrota. Destaque especial ao corajosa 49. ... d5 do Mestre Uruguaio, colocando na prática o belo conceito de bloqueio.



Preparando a arena para enfrentar o Grande Mestre.

É importante também dar destaque à participação feminina da Bi-Campeã brasileira WMF Vanessa Feliciano que vem demonstrando jogo muito forte e seguro, mesmo contra os mestres e já está passando dos 2200 de rating FIDE. Dessa vez ela empatou pela 4ª rodada com o GM Everaldo Matsuura e com o MI Dragan Stamenkovich pela 5ª, mas perdeu na última rodada para o MF Luiz Ney Menna Barreto. Abaixo o seu empate contra o 10º Grande Mestre brasileiro:


Algumas fotos tiradas no decorrer do evento:

Os catarina não perdem tempo e se preparam em equipe para a próxima rodada, lembrando os tempos da máquina de xadrez soviética - da esquerda para direita: Kleber Zimermann, Dalvan Franceschina, Derlei Florianovitz e Yussanã.

Guilherme Teixeira, Anderson Donay e Benevenga analisando depois da rodada.
Podemos perceber que Guilherme está prestes a fazer o moon walk depois de ter achado um lance brilhante.

Os árbitros da competição AR Kléber Padoin e AN Leonardo Pereira.
Pedi pro Leonardo tentar fazer cara de homem, mas acho que ele não levou muito a sério meu pedido.

MF Flávio Olivência e Sabrina - esposa do campeão do torneio.
"no, no, OliVência, con la V de vaca así"

O XadrezBatatais agradece a gentileza de Eider, em ceder tão bela postagem que retrata o xadrez de forma inteligente no Rio Grande do Sul e aos jogadores que proporcionaram belíssimas partidas.
Contatos do Prof. Eider Cruz para aulas
Aulas presenciais ou pela internet. Venha fazer a primeira aula gratuíta.

Mande um e-mail para:
Post original:
Mais informações sobre o torneio:
Compartilhe este artigo :

+ comentários + 1 comentários

Anônimo
14 de fevereiro de 2012 17:29

Olá Paulo,

Em relação ao novo critério de desempate, determinado pela FIDE, eu até entendi que para torneios fechados ele seja mais "justo".

Agora vou abusar da sua vontade para que você me esclareça:
Eu pensava que este novo critério também fosse "justo" para torneios abertos. Explico: já vi caso real em que duas jogadoras, com a mesma pontuação ao final do torneio, ganhou a que tinha critério de desempate maior. Mas esta que ganhou por criterio, havia perdido o confronto direto para outra. Não entendi como este novo critério não seja mais justo. Você poderia, se possível, dar um exemplo?

Um grande abraço.

Postar um comentário