Home » » 6 Grandes Campeôes Mundiais

6 Grandes Campeôes Mundiais

Postado Por Paulo Henrique de Faria em 27 de janeiro de 2012 | 09:30

Esta é a primeira parte de nossa proposta de apresentar um pouco das histórias, partidas marcantes e vídeos que relatem um pouco dos grande gênios que marcaram e ainda marcam o xadrez no mundo.
Escolhemos primeiramente 6 dos Campeôes Mundiais que muito marcaram nossa época, mas também nosso estilo de entender o xadrez. Futuramente traremos mais sobre outros jogadores que também chegaram a conquista da coroa do mundo.
Confira cada uma das postagens por clicar no título delas:


Robert James Fischer, por muitos o maior enxadrista de todos os tempos, um mito e um gênio do xadrez, conseguiu inúmeras proezas desde cedo, e a partida que trazemos hoje é historicamente conhecida como a "Partida do Século" em que frente a um renomado GM da época Fischer cria uma obra-prima isso com seus meros 13 anos de vida. Acompanhem a partida, um pouco de sua história e um vídeo com fatos históricos.


 

O grande campeão de hoje é ele, Veselin Topalov, o búlgaro que chegou ao título mundial no ano de 2005 e foi o último desafiante do atual campeão, Anand. Trazemos hoje uma bela partida jogada por Topalov frente a Levon Aronian, no ano em que Topalov fazia a defesa de seu título frente a Kramnik. Esta partida foi escolhida por ser uma verdadeira obra de arte, onde a preparação caseira juntamente com o brilhantismo do então campeão mundial fazem valer a pena ser um praticante do xadrez. Teremos uma aula sobre o valor dinâmico das peças e a força dos peões unidos e livres.


Anand: O jovem relâmpago-Lightning Kid (acesse e veja mais)

Viswanathan Anand, também conhecido como Vishy Anand é o atual campeão mundial de Xadrez. Nascido na Índia em 11 de dezembro de 1969 se tornou uma celebridade dos esportes e um ícone que certamente representou para seu país o despontar da modalidade. Hoje a Índia é uma das grandes potências no xadrez mundial, e o fruto do trabalho desse gênio é que tornou a arte de Caíssa tão popular em sua terra natal. A partida a seguir é uma das mais interessantes de sua carreira, não só pelo caráter didático, mas também no aspecto da luta, Anand e Ftacnik certamente protagonizaram um duelo inesquecível para os amantes do jogo de xadrez, pelas chances criadas por ambos e pelo belo final que se produz. Acompanhe a partida, um pouco mais da vida do campeão e um vídeo que justifica sua fama de jogar rápido.


Kramnik: Promessa que virou realidade (acesse e veja mais)

Continuando o post sobre alguns dos grandes campeões mundiais e exemplares de suas belas partidas, trazemos Vladimir Kramnik, um grande prodígio que chegou a coroa do mundo no ano 2000, ao vencer ninguém menos que seu antigo professor, Garry Kasparov. Na partida a seguir vemos a profunda noção de tática que Kramnik traz em uma defesa muito empregada por ele em sua carreira a aula de tática vem da variante Sveshnikov da defesa Siciliana. Essa partida foi jogada no ano de 1991 quando Kramnik tinha apenas 16 anos de idade, contra seu compatriota Michail Brodsky. Acompanhe em detalhes a genialidade do russo.


 
Karpov: KxK da melhor qualidade (acesse e veja mais)


O XadrezBatatais da continuidade a sua nova proposta de trazer aos leitores partidas brilhantes dos grandes campeões mundiais.Dessa vez o vencedor por uma partida honrável é Karpov, nesse duelo entre dois dos maiores gênios do xadrez quem vence é o mais sólido deles. Karpov nos dá uma demonstração de sangue frio e técnica cirúrgica ao conduzir uma posição em que a receita para as pretas era esperar o ataque e no momento certo dar o contraataque. Karpov vai direto no fígado de Kasparov e aos poucos domina o final ao fazer todas as peças serem importantes no tabuleiro, como um maestro conduzindo sua orquestra Karpov vence essa bela partida.

Kasparov: Máquina dos tabuleiros (acesse e veja mais)

Este post é uma das novas propostas do XadrezBatatais, levar aos leitores partidas brilhantes dos grandes campeões mundiais. Nada mais justo lembrar daquele que consideramos o maior de todos, uma "Máquina dos tabuleiros", Garry Kasparov. A partida a seguir foi considerada como a melhor de sua época, advinda do segundo encontro entre Karpov e Kasparov pelo título mundial. Kasparov de pretas planejou um original gambito na Defesa Siciliana, que o deixou com um jogo mais livre, e assim asfixiou pouco a pouco a Karpov, até chegar em um arremate tático propiciado pela má coordenação das peças brancas. É um belo exemplo não só do nível dos dois duelantes, mas também da grande rivalidade e história que criaram juntos, K x K.
Compartilhe este artigo :

Postar um comentário